img_3981

In April, resource Centers  delivered engaging programs to enrich patron’s experiences. Not only our students, but also the local community had the chance of participating in STEAM activities, Earth Day Themed Programs, Book Clubs, The Human Library initiative, and Education USA talks. We address important issues and believe that people engage best by being active participants. Check some of the activities below:

Earth Day -Recycled Pencil Case and key ring - Environmental issues were addressed and participants were invited to a DYI session to repurpose plastic.

Book Club - Patrons heard music played live by the American Exchange Student Regina Stroncek. Then,  the musician and her colleague Christina Chabe talked to participants about their experiences in libraries in the US. They talked specifically about Book Clubs and invited everyone to take part in CTJ`s Book Club initiative.  Teachers are enthusiastic about the new club; a good example of engagement was  Vitor Hugo, who sang to participants and enticed more people to take part in this American Cultural treasure.

STEAM Activities - 3D Painting, Chemistry in Bubbles, and Synesthesia Experiment were some of the activities chosen by the RC staff in Lago Sul, Aguas Claras and Sudoeste.

Bibliotecas Casa Thomas Jefferson em março

Dia da terra – Em abril, celebramos o dia da terra com uma atividade mão na massa para exemplificar o reciclar para a garotada. Utilizamos bandejas de isopor usadas e fizemos lindos chaveiros. É uma atividade simples e consciente. Basta desenhar com uma caneta permanente no tamanho da bandeja de isopor, levar para assar uns 2 minutos e voilà. O chaveiro fica durinho e reduzido em tamanho, tornando fácil o furo com uma parafusadeira. O resultado é ótimo e pode ser feito com molde de desenho ou desenho livre. Eles levaram para casa o chaveiro, a lição de reciclagem e o sorriso.

Clube da Leitura - Nessa atividade os alunos e frequentadores do Resource Center puderam apreciar o som de músicas líricas interpretadas pela intercambista americana Regina Stroncek, que, juntamente com sua colega Christina Chabeli, compartilhou sua vivência em bibliotecas nos EUA e dividiu experiências com o objetivo de introduzir o tema do clube de leitura. No sábado seguinte, contamos com a presença do professor Vitor Hugo que cantou músicas para atrair o público na intenção de divulgar a data do próximo encontro do Book Club, bem como a escolha do livro. No último dia 13, presenciamos a empolgação dos participantes ao compartilharem em inglês suas impressões a respeito do enredo e personagens do livro escolhido, “The Phantom of the Opera”. Outros frequentadores presentes foram contagiados com a animação e mergulharam também na aventura do próximo Book Club! Essa atividade consiste no debate sobre as opiniões e impressões de cada leitor. É uma forma descontraída de praticar o uso da língua inglesa. Os encontros acontecem quinzenalmente, aos sábados de manhã.

3D Painting - Com um pouco de cola, espuma de barbear e corante é possível soltar a imaginação e criar lindas pinturas em 3D. Quando a mistura seca, ela gruda no papel e é possível sentir a textura em alto relevo – uma forma diferente de fazer arte e desenvolver a criatividade dos alunos.  A atividade foi um sucesso entre os alunos de 3 a 14 anos. Ao final, fizemos uma exposição dos trabalhos e eles puderam levar para casa sua obra prima.

Bubbles - Bolhas são mágicas! Com a ajuda da química é possível fazer as bolhas de sabão ficarem mais resistentes e demorarem mais para evaporar, adicionando glucose à fórmula e fazendo a camada externa da bolha ficar mais espessa. Com algumas ferramentas como varetas de barbantes,  construídas pelos alunos, ou um pedaço de feltro, foi possível fazer bolhas gigantes e até quicá-las.

Synesthesia – Realizamos duas atividades super legais ligados à sinestesia. O primeiro foi o estetoscópio caseiro, feito de material reciclável, onde eles puderam ouvir os batimentos cardíacos. Os alunos adoraram ouvir os batimentos cardíacos um do outro e ficaram curiosos para fazer o estetoscópio e levar para casa. Nossa outra atividade foi o Disco que toca no crânio. Foi sensacional! Usando um protetor de ouvidos, um disco de vinil e um palito de hashi com uma agulha na ponta preso ao maxilar, os alunos conseguiram ouvir uma música. A música pode ser ouvida, pois temos a audição óssea desenvolvida nas têmporas. Quando acionamos a moléculas do ar, o som estimula a vibração do ouvido que, em contato com as têmporas, estimula essa audição. Muitos  pais curtiram essa experiência super envolvente.

Biblioteca Humana - A Human Library é um movimento internacional que promove uma forma inclusiva de desafiar o preconceito e os esteriótipos através do contato social. Atualmente, este evento é realizado em mais de 60 países. A Human Library promove o encontro e o contato entre as pessoas. São conversas abertas e honestas que podem levar a uma maior aceitação, tolerância e a coesão social nas comunidades. São pessoas reais, em conversas reais, em um ambiente seguro e acolhedor, que facilita o diálogo. É um lugar e um momento onde é permitido fazer perguntas difíceis de maneira respeitosa. Essas perguntas são esperadas, apreciadas e respondidas. Nossos convidados e convidadas são chamados de Living Books, pois assim como em uma biblioteca, um leitor ou visitante da Human Library pode escolher um Livro para ler. A diferença é que os Livros são pessoas reais e a leitura é uma conversa. Na dinâmica da Human Library, as pessoas sentam em grupos de até seis pessoas, com rodadas de diálogo com a duração de aproximadamente 20 minutos. A ideia é que os grupos troquem de mesa a cada ciclo.

A agenda de equidade de gênero é um dos objetivos estratégicos da Thomas. E não por acaso, a primeira edição da CTJ Human Library priorizou a fala de mulheres convidadas a compartilharem suas experiências. Ouvimos Nanauí Amorós evidenciar como ainda hoje o machismo torna difícil mulheres estudarem e trabalharem no campo da tecnologia. Também ouvimos as experiências de Rose de Paula e como seu espírito aventureiro moldou seu futuro profissional na diplomacia brasileira. Conhecemos a história de Ana Paula M. G. e como sua experiência de voluntariado do outro lado do oceano Atlântico se tornou uma poderosa ferramenta de empatia. E finalmente ouvimos o depoimento marcante de Catherine Taliaferro Cox e como uma experiência na infância pode moldar o caráter e os valores de uma pessoa.

Fotos: https://www.flickr.com/photos/ctjonline/sets/72157683582898295/

Vídeo: https://drive.google.com/drive/u/1/folders/0By9vHSE1dmo3a2xSRGkwcXM5elU

Leave a Reply